BLOG DO ADAIL

Conhecer a Deus é fundamento eterno de bem-aventurança - glória eterna. Não o conhecer é eterna perdição. Deste modo, o conhecimento de Deus é tudo: vivifica a alma, purifica o coração, tranquiliza a consciência, eleva as afeições, e santifica o caráter e a conduta. - Irmão Adail

"Ah, se pudéssemos ter mais fé num Salvador amoroso e vivo, e se pudéssemos abrir nossos corações o suficiente para receber mais do seu amor eterno, consumidor, constrangedor, penetrante; ah, se abríssemos nosos ouvidos para ouvir a doce voz do Noivo quando Ele sussura para nossas almas: "Levanta-te, meu amor, minha querida, venha, deixa as ilusões deste dia transitório. Ah, se sua voz arrebatadora pudesse alcançar nossos corações endurecidos para que tivéssemos sede e clamássemos por um relacionamento mais íntimo com o Salvador crucificado". - Pr. John Harper, que afundou com o TITANIC em 15.04.1912.

ATENÇÃO: O assento do escarnecedor pode ser muito elevado socialmente, todavia fica muito perto da porta do inferno, e logo ficará vazio.

"...prepara-te para te encontrares com o teu Deus" (Am 4.12). Como os crentes em Jesus podem viver com as malas prontas e prontos para partir? Não há mistério a este respeito; o bom senso nos deve indicar como fazê-lo. Estejamos inteiramente dedicados ao serviço de Cristo, todos os dias. Não vamos tocar no pecado com vara curta. Acertemos as contas com Deus. Vamos pensar em cada hora como uma dádiva de Deus para nós, para tirar dela o melhor proveito. Planejemos nossa vida, levando em conta setenta anos (Sl 90.10), entendendo que se o nosso tempo for menor do que esse prazo, isso não será uma privação injusta, mas uma promoção mais rápida. Vivamos no tempo presente; gozemos com alegria dos seus prazeres e abramos caminhos através de suas dores, contando com a companhia de Deus, sabendo que tanto os prazeres quanto as dores são passos na viagem para casa. Abramos toda a nossa vida para o Senhor e gastemos tempo conscientemente na companhia dEle, expondo-nos e correspondendo ao seu amor. Digamos a nós mesmos, com frequência, que a cada dia estamos mais perto. Lembremo-nos que o homem é imortal enquanto o seu trabalho não for realizado, e continuemos a realizar aquilo que sabemos ser a tarefa que Deus nos determinou para aqui e agora. Amém? - Irmão Adail

Uma única bomba devasta uma cidade, e o mundo está na era nuclear. Com a cisão de um átomo, temos um poder e uma força nunca vistos. Foguetes roncam no seu local de lançamento, e sua carga é despejada no espaço. Descobertas apenas imaginadas durante séculos são agora concretizadas à medida que começamos a explorar os confins do universo.

Vulcões, terremotos, maremotos, furacões e tufões deixam desprender sua força incontrolável e inexorável. Resta-nos procurar abrigo para mais tarde reunir aquilo que sobrou.

Poder, força, energia - observamos com admiração a exibição da natureza ou a obra do homem. Mas essas forças não se aproximam do poder de Deus onipotente. Criador de galáxias, átomos e leis naturais, o soberano Senhor reina sobre tudo o que existe e sempre será assim. Que tolice viver sem Ele, que estupidez correr e esconder-se de sua presença, e quão ridículo é desobedecer-lhe. Mas nós o fazemos. Desde o Éden estamos sempre à procura de sermos independentes de seu controle como se fôssemos deuses com o poder de controlar nosso próprio destino. E Ele tem permitido nossa rebelião. Mas, muito em breve, chegará o
DIA DO SENHOR.


segunda-feira, 14 de março de 2011

Pecado Sexual



POR QUE É TÃO PERIGOSO

Deus não tolera tais atos pelos seguintes motivos: (1) eles destroem o compromisso mútuo do casal; (2) destroem a santidade da família; (3) torcem o bem-estar mental das pessoas; e (4) espalham doenças. O pecado sexual entre pessoas não casadas entre si costuma esconder tragédias e dores profundas. Quando a sociedade apresenta o pecado sexual de modo atrativo, é fácil esquecer o lado obscuro. Deus teve bons motivos para proibir os pecados sexuais. Ele nos ama e deseja o melhor para nós.

POR QUE DEUS INSTITUIU TANTAS LEIS A ESTE RESPEITO

O apóstolo Paulo reconheceu a importância da pureza sexual (Col 3.5-8), pois o pecado tem o poder de destruir as pessoas. Os pecados que envolvem o sexo não são inocentes temperos em prazeres proibidos, como a indústria pornográfica costuma apresentar, mas poderosos instrumentos de destruição de relacionamentos. Eles confundem e destroem o respeito, a confiança e a credibilidade, que são essenciais para casamentos felizes e filhos saudáveis emocionalmente.

COMO COMBATER A TENTAÇÃO

Você precisa decidir que tipo de pessoa amar antes que a paixão aconteça. Determine o caráter e a fé em Deus bem como sua aparência física. Devido ao fato de que a maior parte do tempo que você passará com seu cônjuge não envolverá sexo, a personalidade, o temperamento e o compromisso de seu companheiro ou companheira para resolver problemas precisa ser tão gratificante quanto seus afagos. Seja paciente. O segundo olhar sempre revela o que está além de uma agradável aparência.

O PECADO SEXUAL SEMPRE FERE ALGUÉM

Algumas pessoas argumentam que não há problema em infringir a lei de Deus, cometendo pecado de ordem sexual, uma vez que ninguém se fira. Na verdade, alguém sempre é ferido em uma situação como esta. No caso de adultério, os cônjuges são feridos e os filhos sofrem. Ainda que o pecado não resulte em enfermidades ou em uma gravidez indesejada, os que são por ele afetados podem perder sua habilidade de cumprir compromissos por causa do desejo sexual; podem confiar e se abrir completamente para outra pessoa, perdendo a noção de si. As leis de Deus não são arbitrárias. Elas não proíbem o bem e a diversão saudável; advertem contra a nossa destruição devido a ações impensadas ou por nos adiantarmos ao tempo estabelecido por Deus.
O plano de Deus para os relacionamentos sexuais representa o ideal dEle para sua criação. Infelizmente, o pecado perverteu o uso natural das dádivas de Deus. Muitas vezes, o pecado significa não só negar a Deus, mas também negar a maneira como fomos criados. Quando as pessoas dizem que qualquer tipo de relacionamento sexual é aceitável, desde que ninguém seja prejudicado, enganam-se. Ao longo ou a curto prazo, o pecado fere indivíduos, famílias, sociedades inteiras. Como é triste ver pessoas que adoram não o Criador, mas o que Ele criou; normalmente elas distorcem e destroem as mesmas coisas que afirmam valorizar.

O ADULTÉRIO MENTAL

No Antigo Testamento, a lei assegura que é errado ter relações sexuais com alguém que não seja o cônjuge (Ex 20.14). Mas Jesus disse que o desejo de ter relações sexuais com outro, que não seja o cônjuge, é considerado por Deus adultério, portanto, é um pecado. Jesus enfatizou que se o ato de adulterar é errado, a intenção também o é. Ser fiel ao cônjuge com o corpo, mas não com o pensamento, é quebrar a confiança que é tão vital para um casamento forte. Jesus não condenou o natural interesse pelo sexo oposto ou mesmo o desejo sexual saudável, e sim tornar a mente, deliberada e repetidamente, repleta de fantasias malignas, que poderiam vir a ser colocadas em prática.
Alguns podem cogitar: se os pensamentos luxuriosos já constituem pecado, por que a pessoa não deve ir em frente e transformar as fantasias em realidade? Colocar em prática os desejos pecaminosos é uma atitude prejudicial por vários motivos: (1) faz com que as pessoas procurem desculpas para seus pecados, ao invés de pararem de pecar; (2) destrói os casamentos; (3) é uma rebelião deliberada contra a Palavra de Deus; (4) sempre magoa outra pessoa além do pecador. As ações pecaminosas são mais perigosas do que os desejos pecaminosos, por isso estes não devem ser colocados em prática. Mas tais desejos pecaminosos também são prejudiciais à obediência a Deus. Se não forem reprimidos, resultarão em atitudes erradas, desviarão as pessoas de Deus.

POR QUE DEUS PROÍBE A HOMOSSEXUALIDADE

A homossexualidade (atração e prática sexual com pessoas do mesmo sexo) era tão difundida nos primórdios da era cristã quanto é atualmente. Muitas práticas pagãs serviam para encorajá-la. Embora hoje seja considerada por muitos como aceitável, até por algumas igrejas, a homossexualidade é totalmente condenada e proibida nas Escrituras. Não cabe à sociedade estabelecer os padrões da lei de Deus. Os homossexuais acreditam que seus desejos são normais e que têm o direito de expressá-los, mas Deus não nos encoraja a realizar todos os nossos desejos (nem mesmo os normais). Os desejos que ofendem suas leis devem ser controlados e banidos.
Aqueles que têm desejos homossexuais podem e devem resistir e tomar providências contra eles, evitando conscientemente lugares ou atividades que possam incitar às tentações. Não se deve subestimar o poder que Satanás tem para tentar as pessoas ou a possibilidade de as práticas homossexuais acarretarem sérios danos àqueles que continuarem a ceder a elas. É necessário ter em mente que Deus pode e perdoará os pecados sexuais, da mesma maneira que perdoa as demais pessoas.
Aqueles que têm problemas com homossexualismo e perversões devem entregar-se a Deus, pedir que Ele lhes mostre o caminho distante do pecado e que os conduza à luz da liberdade e do amor cristão. A oração, o estudo da Bíblia e o apoio carinhoso dos cristãos que crêem nas Escrituras, poderão ajudar as pessoas a alcançarem a força necessária para resistir a essas poderosas tentações. Aqueles que já estiverem profundamente envolvidos em um comportamento homossexual devem procurar um conselheiro cristão confiável e profissional. Deus está disposto a receber qualquer pessoa que se arrependa de seus pecados e o busque pela fé; e os cristãos devem amar e aceitar a todos a despeito de seu passado.

PECADO SEXUAL NÃO É LIBERDADE MAS SIM ESCRAVIDÃO

Muitas pessoas dizem que têm o direito de fazer o que quiserem com o seu corpo. Embora pensem que isso seja liberdade, estão na realidade escravizadas por seus próprios desejos. Quando nos tornamos cristãos, o Espírito Santo passa a habitar em nós. Assim sendo, o nosso corpo não nos pertence mais. O fato de Deus ter nos comprado "por bom preço" alude nossa condição de escravos adquiridos em um leilão. A morte de Cristo nos libertou do pecado, mas nos obriga a serví-lo. Se alguém viver em um edifício de propriedade de outra pessoa, procurará evitar violar as regras do edifício. Por seu corpo pertencer a Deus, você não deve violar os padrões de vida estabelecidos pelo Senhor.

Um comentário:

  1. Assista ao vídeo da campanha #saúdenãotempreço por dias melhores para todos os brasileiros: http://bit.ly/igYNoj.

    Siga-nos no Twitter e fique por dentro da campanha Saúde Não Tem Preço: www.twitter.com/minsaude
    Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude
    Obrigado,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir