BLOG DO ADAIL

Conhecer a Deus é fundamento eterno de bem-aventurança - glória eterna. Não o conhecer é eterna perdição. Deste modo, o conhecimento de Deus é tudo: vivifica a alma, purifica o coração, tranquiliza a consciência, eleva as afeições, e santifica o caráter e a conduta. - Irmão Adail

"Ah, se pudéssemos ter mais fé num Salvador amoroso e vivo, e se pudéssemos abrir nossos corações o suficiente para receber mais do seu amor eterno, consumidor, constrangedor, penetrante; ah, se abríssemos nosos ouvidos para ouvir a doce voz do Noivo quando Ele sussura para nossas almas: "Levanta-te, meu amor, minha querida, venha, deixa as ilusões deste dia transitório. Ah, se sua voz arrebatadora pudesse alcançar nossos corações endurecidos para que tivéssemos sede e clamássemos por um relacionamento mais íntimo com o Salvador crucificado". - Pr. John Harper, que afundou com o TITANIC em 15.04.1912.

ATENÇÃO: O assento do escarnecedor pode ser muito elevado socialmente, todavia fica muito perto da porta do inferno, e logo ficará vazio.

"...prepara-te para te encontrares com o teu Deus" (Am 4.12). Como os crentes em Jesus podem viver com as malas prontas e prontos para partir? Não há mistério a este respeito; o bom senso nos deve indicar como fazê-lo. Estejamos inteiramente dedicados ao serviço de Cristo, todos os dias. Não vamos tocar no pecado com vara curta. Acertemos as contas com Deus. Vamos pensar em cada hora como uma dádiva de Deus para nós, para tirar dela o melhor proveito. Planejemos nossa vida, levando em conta setenta anos (Sl 90.10), entendendo que se o nosso tempo for menor do que esse prazo, isso não será uma privação injusta, mas uma promoção mais rápida. Vivamos no tempo presente; gozemos com alegria dos seus prazeres e abramos caminhos através de suas dores, contando com a companhia de Deus, sabendo que tanto os prazeres quanto as dores são passos na viagem para casa. Abramos toda a nossa vida para o Senhor e gastemos tempo conscientemente na companhia dEle, expondo-nos e correspondendo ao seu amor. Digamos a nós mesmos, com frequência, que a cada dia estamos mais perto. Lembremo-nos que o homem é imortal enquanto o seu trabalho não for realizado, e continuemos a realizar aquilo que sabemos ser a tarefa que Deus nos determinou para aqui e agora. Amém? - Irmão Adail

Uma única bomba devasta uma cidade, e o mundo está na era nuclear. Com a cisão de um átomo, temos um poder e uma força nunca vistos. Foguetes roncam no seu local de lançamento, e sua carga é despejada no espaço. Descobertas apenas imaginadas durante séculos são agora concretizadas à medida que começamos a explorar os confins do universo.

Vulcões, terremotos, maremotos, furacões e tufões deixam desprender sua força incontrolável e inexorável. Resta-nos procurar abrigo para mais tarde reunir aquilo que sobrou.

Poder, força, energia - observamos com admiração a exibição da natureza ou a obra do homem. Mas essas forças não se aproximam do poder de Deus onipotente. Criador de galáxias, átomos e leis naturais, o soberano Senhor reina sobre tudo o que existe e sempre será assim. Que tolice viver sem Ele, que estupidez correr e esconder-se de sua presença, e quão ridículo é desobedecer-lhe. Mas nós o fazemos. Desde o Éden estamos sempre à procura de sermos independentes de seu controle como se fôssemos deuses com o poder de controlar nosso próprio destino. E Ele tem permitido nossa rebelião. Mas, muito em breve, chegará o
DIA DO SENHOR.


sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Albert Einstein, o Gênio do Século XX


Einstein nasceu na Alemanha, na cidade de Ulms (Württemberg), em 1879, e faleceu nos USA, em 1955. Ele teve alguns parentes pelo lado materno aqui no Brasil. Foi Diretor do Instituto de Física Kaiser Wilhelm, em Berlim.


Quando os nazistas o depuseram do cargo que ali ocupava, ele emigrou para os USA, onde se tornou professor e membro permanente do Institute for Advanced Study (Instituto para Estudos Avançados) em Princeton (New Jersey), tendo se especializado em estudos teóricos de massa e energia. Durante a II Guerra Mundial ele trabalhou para a Marinha Americana.

Certa vez, ele se perdeu no caminho de casa. Pediu permissão para telefonar e como tinha esquecido o número do telefone, pediu para o dono da casa olhar no catálogo, ao que este respondeu: “esse nome não está no catálogo...”

Quando ele soube que os nazistas haviam colocado um preço de 5 mil Marcos pela sua cabeça, comentou, admirado: “puxa, eu não sabia que minha cabeça valia tanto!”

Vamos ler alguns pensamentos de Einstein, que se notabilizou com as suas Teorias da Relatividade, cuja fórmula famosa é E=mc2:

01. - Não existe nenhum caminho lógico para o descobrimento das leis elementares - o único caminho é a intuição.

02. - A verdade é descoberta pela intuição precedida pela análise.

03. - O mundo dos fatos não conduz a caminho algum para o mundo dos valores - estes vêm de outra região.

04. - Deus não joga dados com o mundo; Ele é sutil, mas não é maldoso.

05. - Deus é a Lei e o Legislador do Universo.

06. - O homem erudito é um descobridor de fatos - mas o homem bom é um criador de valores, os quais não existiam, mas ele faz existirem.

07. - Se eu, em algum livro, disse o que não é verdade, não estou disposto a brigar com Deus por não ter Ele feito o mundo assim como eu disse.

08. - Saber que existe algo insondável, sentir a presença de algo profundamente racional, radiantemente belo, algo que compreendemos apenas de forma rudimentar – é esta a experiência que conduz a uma atitude genuinamente religiosa. Neste sentido e somente neste, é que eu pertenço aos homens profundamente religiosos.

09. - Tenho a firme convicção de que nenhuma riqueza de bens materiais pode fazer progredir o homem, mesmo que ele esteja nas mãos de homens que demandam uma meta superior. Pode alguém imaginar Moisés, Jesus... armados de um saco de dinheiro...?

10. - O silêncio é receita; o ruído é despesa.

11. - Esta nossa pobre humanidade hodierna está permanentemente falida.

12. - Basta uma concentração mental de 100%, para que se conheça, sem qualquer experiência empírico-analítica, as verdades da natureza...

13. - Todas as coisas deste mundo são lucigênitas e, por isso mesmo, lucificáveis.

14. - O espaço é curvo... a menor distância entre dois pontos não é a linha reta.

15. - O amor é a mais alta razão (Die Liebe is the höchste Vernunft).

16. - O universo é finito, porém ilimitado... tem forma cilíndrica, não esférica.

17. - Uma quarta dimensão, o tempo, é acrescentada às três dimensões conhecidas de comprimento, largura e espessura.

18. - Se eu não fosse judeu seria um quacker.

19. - Somente a intuição é que atinge a alma do universo.

20. - A ciência sem a religião é paralítica – a religião sem a ciência é cega.

21. - O meu ideal político é a democracia. Seja cada homem respeitado como um indivíduo - mas nenhum idolatrado. É uma ironia da sorte que eu mesmo tenha sido alvo de excessiva admiração e reverência por parte de meus semelhantes, sem merecimento nem culpa alguma de minha parte.

Agora vamos ler carta que Einstein enviou ao Presidente Roosevelt, quando os USA ainda estavam engatinhando nos meandros da bomba atômica.

Carta de Albert Einstein ao Presidente Franklin Delano Roosevelt

Senhor:


Algumas obras recentes de E. Fermi e L. Szilard, as quais me foram comunicadas em manuscrito, me levam a esperar que o elemento urânio possa ser transformado em uma nova importante fonte de energia, num futuro próximo.


Certos aspectos expostos dessa situação parecem exigir nova consideração e, se necessário, rápida atenção da parte da Administração. Portanto, creio ser meu dever levar à sua atenção os seguintes fatos e recomendações:


Ao longo dos últimos quatro meses, tem-se tornado provável, apesar da obra de Jolliot na França, bem como a de Fermi e Szilard, na América, ser possível realizar uma reação nuclear em cadeia, numa grande massa de urânio, através da qual vasta soma de poder e grandes quantidades de novos elementos semelhantes ao radium poderiam ser gerados. Agora é quase certo que isso poderia ser alcançado num futuro próximo.


Esse novo fenômeno também conduziria à construção de bombas e é concebível – embora não totalmente certo – que bombas extremamente poderosas desse tipo pudessem ser construídas. Uma só bomba desse tipo, carregada em barco ou explodida num porto, poderia muito bem destruir todo o porto, junto com algum território ao redor do mesmo. Contudo, tais bombas poderiam muito bem ser, provavelmente, pesadas demais para o transporte aéreo.


Os USA possuem apenas muito escassas reservas de urânio e em quantidades moderadas. Existem algumas boas reservas no Canadá e na ex-Tchecoslováquia, embora as fontes mais importantes estejam no Congo Belga.


Tendo em vista tal situação, talvez o Sr. considere desejável manter algum contato permanente entre a Administração e o grupo de físicos trabalhando nas reações em cadeia, na América. Um meio possível de consegui-lo seria o Sr. confiar a tarefa a uma pessoa de sua confiança, a qual talvez pudesse servir numa capacidade extra-oficial. Sua tarefa poderia compreender o seguinte:


A – Aproximar os departamentos do governo, conservando-os informados do desenvolvimento futuro, passando à frente a recomendação do governo, com atenção especial ao problema de assegurar um suprimento de reserva de urânio para os USA.


B – Apressar a obra experimental, a qual está sendo atualmente levada a efeito dentro dos limites do laboratório da Universidade, seria o caso de prover fundos, caso sejam estes requeridos, através dos seus contatos com pessoas particulares, as quais estejam querendo contribuir para essa causa, e ainda, talvez, obter a cooperação de laboratórios industriais, que possuam o necessário equipamento. Entendo que a Alemanha tenha recentemente suspendido a venda do urânio das minas da Tchecoslováquia, das quais ela se apoderou. O fato de ter ela tomado essa decisão tão recente talvez possa ser explicado pela hipótese de que o filho do Subsecretário de Estado Alemão, von Weizsacher, esteja ligado ao Instituto Kaiser Wilhelm, de Berlim, onde alguma coisa da obra americana está sendo agora repetida.


Sinceramente,


Albert Einstein.

Um comentário: